CASACOR Goiás 2019: 40 refúgios para se conectar consigo e com a natureza

Tempo de leitura: 18 minutos


Começa no Brasil a temporada 2019 da maior e mais completa mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo das Américas, com a CASACOR Goiás. Ela abre suas portas em 10 de maio e apresenta uma interpretação única do conceito Planeta Casa – seus 40 ambientes trazem a inspiração de começar uma mudança no mundo a partir da transformação da nossa própria casa.

<p>Casa da Girafa/Cinex – Leo Romano. O ambiente reforça a ideia de que a arte transforma, e de que a estética é um caminho para a felicidade. Os móveis são assinados por Oscar Niemeyer, Oswaldo Tenório e Jorge Zalszupin e contracenam com peças de sua autoria. Para equilibrar o visual sóbrio e introspectivo, apostou nas transparências no mobiliário. O chão ganha um toque natural com o tapete.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Estar Juntos – Aline Carvalho Albiéri, Márcia Aparecida Albiéri Araújo e Fátima Helena Bastos Mesquita. Os tons são quentes e, ao mesmo tempo, descontraídos nestes 65 m², em sintonia com o painel de madeira rústica e o revestimento em pedra natural. Os móveis de traços delicados têm a assinatura de Benoit Convers, Paulo Sartori, Danilo Vale, Alessandra Delgado, Larissa Diegoli e Lattoog. No piso, o porcelanato reproduz um mármore francês da região dos Pirineus Atlânticos. O tapete tem desenho inspirado nas águas do mar invadindo a areia.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Aldeia Sala de Banho – André Brandão e Márica Varizo. Em formato de ninho, o espaço de 65 m² traz uma sensação de acolhimento e renovação, com materiais naturais que conectam as pessoas e a natureza. As paredes foram revestidas com painéis inspirados na técnica japonesa Shou Sugi Ban, que preserva a madeira por meio do processo de carbonização. É uma alusão ao cerrado e às queimadas.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Studio Off – Mariana Mendonça. Idealizado para a mulher madura ter um momento particular e ficar totalmente off da correria do dia a dia. Com esse intuito, a profissional utilizou uma paleta de cores clean, puxada para o cinza, enquanto o sofá e as mesas de centro se destacam pela tonalidade coral. A parede de pedra, a cortina delicada e os pufes com ar handmade finalizam.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Urban Oasis – Victor Tomé. A caixa de madeira ripada com painéis pivotantes vazados concentra a entrada da luz natural e a visão do jardim vertical. Com 62 m², o espaço é valorizado pelo mobiliário assinado por nomes como Jader Almeida e Arthur Casas.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Respiro – Espaço OGGI – Eduardo e Karla Bittar. O grande salão se abre convidando a um espaço de convivência com as salas de jantar, estar e a cozinha gourmet, que compartilham os 125 m². Todas as paredes têm um visual limpo e são revestidas em madeira – exceto uma, que remete ao aço, onde se encontra a adega. Um jardim ao centro setoriza os espaços e traz um pouco do verde das árvores do parque lá fora para o espaço. O versátil sofá atende a vários ambientes.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Home Family – Fabíola Naoum e Wilker Godoi. O clima aconchegante vem da presença de um mobiliário super confortável e das texturas naturais da madeira, do sisal e do couro, que se inserem no espaço com um olhar contemporâneo. As paredes foram vestidas com tecidos na cor verde.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Studio Bossa – Nando Nunes. A tranquilidade e a brisa do mar, especialmente no Rio de Janeiro e em Trancoso, conduzem o projeto com 79,64 m². Praiano e ao som de bossa nova, traz peças de desenho simples e excelente, como a mesa e as cadeiras francesas do antiquário Arnaldo Danemberg. As paredes ganham a expressão da madeira e, no piso, foi aplicada a granitina. As fotografias Rio Vertical e Ocean Sunset, de Will Sampaio, também trazem um quê de maresia.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Living do Artista – Doriselma Mariotto. Amplas paredes e muita luz natural são pensadas para que o artista possa apreciar seu acervo. Com esta intenção, o espaço de 65 m² traz um visual limpo, com a interferência discreta do geometrismo no teto e dos estofados em tons de verde. As mesas de centro têm desenho exclusivo de Louis Kazan.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Comida, diversão e arte – Genésio Maranhão. Destinado a preparações e degustações gastronômicas, o ambiente de 91 m² tem como destaque a grande mesa ao centro, em sobreposição com a ilha gourmet. A madeira deixa o espaço mais receptivo e caloroso, assim como o mobiliário brasileiro dos anos 1950 e 1960.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Loft Pet Friendly – Larissa Leite. Para uma mulher que trata o cãozinho como seu próprio filho, este loft de 50 m² garante ao pet livre acesso a todos os lugares. O tapete alia conforto e facilidade de limpeza, ao mesmo tempo que a casinha do pet em madeira esbanja design. A inspiração do décor vem de cores e itens comuns nas casas do interior da França.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Refúgio Urbano – Edmara Cavalcante. Para quem busca um descanso físico e mental, a profissional responde com um ambiente que combina área íntima e social, com jardim vertical e muita luz natural. Ele traz a leveza nos elementos vazados e, principalmente, as texturas da natureza. Madeira, cerâmica e as fibras conduzem a uma experiência sensorial e a um encontro com sua própria essência, junto com peças de antiquário e obras de arte.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Wine and Relax Time – Milena Niemeyer. Para relaxar, uma combinação de entretenimento com muita tecnologia e bons vinhos. Eles são guardados na adega com acesso eletrônico exclusivo do colecionador. As pedras nobres e o mix de peças clássicas e contemporâneas com a mesma cartela de cores definem a identidade do espaço. Tecidos e abajours personalizados conferem um toque exclusivo ao projeto de 57 m².</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Clube do Ócio – Patrícia Neto. O indivíduo moderno com uma vida ativa e que busca um refúgio após um dia de trabalho vai se identificar com o espaço. Composto por áreas de relaxamento e descontração, ganha um toque de brasilidade com o mobiliário de Sérgio Rodrigues, que assina o sofá Mole e as banquetas Mocho.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Um Espaço Para Joelma – Meire Santos. Dedicado à cantora Joelma, o espaço de 61 m² combina área de trabalho e de descanso. Vidros, revestimentos claros com brilho e móveis de linhas orgânicas promovem a continuidade visual entre os ambientes, com destaque para o elemento vazado no teto. O armário de vidro revela os figurinos da cantora.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Studio com Alma – Andressa Lima e Larissa Maffra. Simples e despretensioso, o ambiente de 45 m² ganha um layout livre e sem amarras na distribuição do mobiliário. Assim, propicia a circulação e a interação constante. Os tons neutros foram trabalhados de forma contemporânea, assim como os materiais rústicos, a exemplo da madeira e da palha. Esses são, aliás, os materiais dos painéis de correr que fecham parcialmente a cozinha. As peças em cerâmica são de Luciana Cravo, goiana radicada em Portugal.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Go Big Or Go Home – Alessandra Nahas e Vanessa Graner. O ambiente de trabalho de 56 m² foi humanizado, mesclando elementos delicados, aconchegantes e outros mais sóbrios, que transmitem a seriedade de um escritório. Teto em concreto, piso em pedra e parede de tijolinhos contracenam com a estante levíssima. A obra foi sustentável e dispensou itens como tijolos e argamassa nas áreas externas.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Sala de Banho Riscatto – Giovanna Diniz, Michelle Mourão, Julianna Borges e Isabela Carvalho. O quartzito que dá nome ao ambiente de 25,84 m² reveste o deck que delimita a área molhada. Ali, a banheira de imersão rouba a cena. A iluminação possui um papel central e, através dos espelhos, é direcionada no box e chuveiro. Os detalhes em latão e o sofá em veludo trazem um ar sofisticado.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Pátio Terra – Fernanda e Flávia Ogata. O ambiente de 56 m² resulta do uso inusitado de materiais locais e bem conhecidos. Elas fogem do padrão lógico dos eixos ortogonais e os transformam em planos mais elaborados, desenhando pérgolas diagonais. As texturas assumem lugar de destaque nos complementos e na parede com revestimento 3D. A paleta de cores elege o terracota como base, transmitindo acolhimento e sofisticação.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Sala de Jantar – Mayra Oliveira. As paredes com boiseries trazem um toque clássico ao espaço contemporâneo. Neste detalhe, todas as peças foram assinadas por designers e artistas goianos. As telas são da artista Heloisa Lobo.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Studio AM – Alexandre Milhomem. A cantora Simone, que faz dupla com Simaria, é a homenageada neste espaço de 74m². Os tons de bege e prata definem uma atmosfera glamourosa. As boiseries ganham um visual contemporâneo, finalizadas em laca.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Terraço Sicoob – Aline Borges e Fabiana Costa. O projeto aposta no diálogo entre materiais que remetem ao urbano, como o concreto e o cimento, junto a elementos naturais, especialmente o verde. Destaque para o mosaico de azulejos coloridos assentados de forma aleatória. Vários são os itens sustentáveis, como vasos recicláveis e o deck de madeira.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Kehper – Bruna J. Kehrnvald. A galeria de 100 m² oferece uma experiência que enaltece as joias da marca. Elas são apresentadas de diversas formas em expositores, telões e elevadas a obras de arte nas fotografias. Para garantir a acessibilidade e a sustentabilidade, a rampa foi projetada aproveitando entulhos da própria obra. No alto, ripas de madeira trazem um toque caloroso e natural ao espaço.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Kozu Black – André Lenza. O bar e restaurante contemporâneo de 80 m² traz a proposta de um espaço sem portas, com mesas que avançam sobre a praça central. Uma referência à cultura goiana do bar na calçada. O bar central foi revestido em mármore negresco, e as paredes laterais em madeira ebanizada nero. Na fachada, um imenso muxarabi forma uma imensa trama – por onde a luz solar entra durante o dia, e por onde a luz do bar sai a noite.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Café, Vinho e Arte – Ednara Braga, Flávia Araújo e Julia Resende. O ambiente de 116 m² traz uma metáfora cenográfica, com seus elementos que remetem ao litoral, à cor do mar e do céu – representada pelo ombrê de azul coral na parede principal. O barco fixado à parede e o sofá modular, ao centro, lembram o movimento das águas.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Boutique de Aromas – Elisa Veloso e Lissa Azevedo. O espaço traz um estilo descontraído de atendimento e dispensa o balcão, que seria uma barreira entre o produto e o cliente. As estantes Icon acomodam os frascos de perfume, enquanto a Elle faz a função de caixa – ambas são assinadas pelo designer Jader Almeida. Repare ainda no teto em muxarabi, finalizando o projeto.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Sala de Reuniões – Sérgio Borges. O casulo de madeira certificada é a assinatura visual do projeto, antenado com as tendências de arquitetura corporativa. O concreto e o carpete que reveste os 22 m² contrastam com acabamentos como o vidro – inclusive, ele reveste e preserva uma coluna original. No mobiliário, o banco Buoy cria pontos de cor para descontrair. Repare ainda na parede verde desidratada.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Clínica 23 – Projeto de Rodrigo Ferreira. O ambiente futurista e minimalista tem 60 m² e enaltece a brasilidade, apresentando itens como o mobiliário e o mármore nacionais. O espaço alia as novas tendências da tecnologia à natureza, citada na madeira de reflorestamento que dá vida à estrutura, em luzes de LED e outros itens sustentáveis.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Restaurante – Ricardo Oliveira de Assis. Inspirado nos restaurantes franceses contemporâneos, o espaço de 117 m² destaca a presença do tom marsala em estofados e paredes. As plantas ficam em meio às mesas, para trazer a natureza para dentro do espaço. Piso, paredes e o teto da área das mesas são revestidos por carpete, gerando um conforto extra. A iluminação utiliza peças da designer Cristiana Bertolucci.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Lavabo Invernal – Rubya Zottele. O lavabo é interpretado como um jardim de inverno e ganha um quê industrial com o uso do cimento queimado nas paredes. Os filetes em dourado são uma interferência bem-vinda, trazendo geometria e delicadeza. O espaço de 12 m² também se inspira no frio do inverno em alguns materiais, como o mármore dolomítico no piso.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Terraço Pôr do Sol – Pedro Ernesto e Leandra Castro. A varanda ganha ares modernos, com elementos lineares em madeira em conjunto com piso e bancadas de mármore. No mobiliário, algumas peças de design foram assinadas por Jader Almeida. Com 76,80 m², o ambiente tem espaço de sobre para trazer conforto e aconchego ao receber amigos.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Escada Cinza – Eduardo Guimarães Lima e Felipe Martins Félix de Sousa. O cinza, como o nome do projeto antecipa, predomina nos 15 m². A cor é inspirada nos asfaltos e edifícios dos grandes centros urbanos. Abaixo dessa massa cinzenta, o tom caramelo simboliza a terra e ocupa o espaço de maneira sutil, em uma reflexão sobre a interferência do homem no planeta. As cadeiras Paulistano, de Paulo Mendes da Rocha, são um ponto de cor.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Cozinha Coral – Regina Amaral. O tom coral vem para despertar o apetite dos convidados e traz vivacidade ao espaço de 53 m², chamando a atenção para o teto e detalhes da marcenaria, que é um destaque no espaço. A ilha centraliza diversas funções, deixando a circulação livre.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Quarto dos Meninos – Luísa Azevedo e Roberta Carneiro. É na cumplicidade e em contato com o natural que as crianças se desenvolvem. Com esse entendimento, trazem um parque para dentro do espaço, investindo em tons da natureza e formas orgânicas, citadas no forro em madeira e nas linhas do tapete. O mobiliário solto vem no estilo montessoriano e se molda às necessidades de cada criança. No banheiro, o ladrilho traz uma revoada de pássaros.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Entre Nós e Fialdini – Andréia Rocha Lima. Sem pretensões de seguir tendências, a designer mesclou itens modernos e tecnológicos com outros rústicos, artesanais e de acervo familiar. O piso foi cortado artesanalmente e paginado em escamas de peixe, dialogando com as pedras naturais nas colunas.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Sob O Olhar Grego – Carine Rocha. A cultura e a arquitetura grega são citadas em cada detalhe. A começar pelo predomínio do branco e a farta luz natural. Os característicos arcos também estão presentes, bem como as pedras naturais e rústicas que revestem do piso às paredes. Muranos, fotografias e telas representam o mar da Grécia.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Cozy Garden – Natália Eclea e Luciana Rodrigues dos Santos. A praça de 350 m² conecta diversos ambientes, como bar, restaurante, café e loja. Também é um lugar de calmaria e aconchego, com elementos em tons quentes e o verde que acolhe. A dupla aposta em itens sustentáveis, como vasos fabricados a partir da reciclagem do plástico e móveis de cordas náuticas reutilizáveis.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Clube T-Cross – Giovanni Borges. Seguindo a pegada industrial, a estrutura do local de 78 m² é aparente, com o teto pintado de preto. Ao fundo, o arquiteto cria um revestimento gradiente com efeito 3D, trabalhando com tons de cinza até o preto. Na outra parede, traz aconchego com dois painéis amadeirados, na área pensada para reunir os amigos em sessões de filme.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Banheiro Público – Matheus Henrique de Jesus Vieira, Helena Naves Amaral Duarte de Abreu e Nathália Alves de Freitas. Com 48 m², oferece aos visitantes a experiência sensorial de uma gruta, como um refúgio do mundo externo. A base de revestimentos escuros imita rochas, enquanto as cubas de piso, torneiras e espelho de teto simbolizam as formações dos sedimentos rochosos. A estrutura vazada destaca a relação de luz e sombra.</p>(Jomar BragançaCASACOR)
<p>Fachada Principal Av T-5 – Eduardo Medeiros Neves. Ao projetar os vidros espelhados do local de 300 m², o arquiteto os posicionou de forma que representassem a individualidade do ser refletido, assim como a vida e a natureza integrada ao espaço ao redor.</p>(Jomar BragançaCASACOR)

Cores e materiais naturais

Em diversos ambientes, os 61 arquitetos ressaltam a verdade de materiais bem conhecidos, com um novo olhar voltado ao sensorial. Seja a madeira e o concreto, presentes em boa parte dos projetos, além do mármore e de outras pedras. A cartela de cores remete aos tons do cerrado, explorando os vermelhos, rosas e alaranjados. Eles aquecem os refúgios que propõem um respiro, protegem a alma da correria do dia a dia e são um convite aos encontros.

Prédio assinado por Arthur Casas

O local escolhido para a CASACOR Goiás é onde vai se situar o Epic City Home, edifício assinado pelo arquiteto paulista Arthur Casas. Com terreno aproximado de 3 mil m², terá apartamentos distribuídos em uma luxuosa torre única, além de apresentar as maiores metragens residenciais da cidade, com unidades que vão de 730m² a 880m², além da maior cobertura duplex do estado, com 1.360m².

Para Arthur Casas, um dos grandes diferenciais arquitetônicos é o jogo de volumes resultante da distribuição das unidades intercaladas em andares subsequentes. “A construção do embasamento e sua relação com o entorno também é forte. Um volume que surge da topografia existente e se projeta em direção ao parque, que setoriza e organiza os diferentes usos do empreendimento”, ressalta.

CASACOR Goiás 2019

Quando?

10 de maio a 20 de junho

Das 15h às 22h, de terça a sexta-feira; 12h às 22h aos sábados, domingos e feriados

Onde?

Local: Rua T-61 esquina com T-5, local do edifício Epic City Home, futuro empreendimento da City Construtora.

Quanto?

R$ 54 (inteira) e R$ 27 (meia entrada)

Passaporte: R$ 180



Fonte do Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *